26 outubro 2011

Voilá!


Nunca, nem por um minuto, eu pude imaginar que iria gostar tanto de estar em uma sala de aula.

Pra começar eu amo a posição de estudante. Acho um previlégio. Ficar lá parada só recebendo informações interessantes de quem se preparou durante muitos anos para estar ali destrinchando as melhores idéias para você.

Depois pela experiência de fazer parte de um grupo maduro e que sabe o que quer. Há muita satisfação no ar e bagagem também, eles fazem perguntas inteligentes e dão respostas melhores ainda.

Eu não falo muito. Aliás eu não falo quase nada. Eu OUÇO.  Tento estar ligada o tempo inteiro, pois uma frase que eu perco compromete a minha compreensão.

Os coleguinhas estão trazendo os textos para que eu possa acompanhar, mas mesmo assim é difícil, a maioria deles é tem o vocabulário muito elaborado para o meu inglês IF. Ai como eu queria entender tudo para poder comentar!

O processo é o seguinte; a professora fala sobre um dos aspectos que compõem um livro como origem e medos do personagem, a sua porção sombra e a sua porção luz, visão do antagonista, o conflito, etc. Daí ela faz uma pergunta para cada um para ser respondida em quatro páginas na voz do personagem aprofundando naquele tema para serem lidas na semana seguinte.

Daí vai a IF escrever em português, traduzir na melhor maneira possível e depois dar para uma querida cobaia americana corrigir. Além de erros de ortografia e gramática, é preciso consertar expressões que uso em português e que não fazem o menor sentido aqui.

Nas duas primeiras vezes eu passei para o PIF que se empolgou, passou três horas pra me mandar o texto de volta, estava era se esmerando para que não ficasse uma vírgula fora do lugar. Depois ele me disse que mostrou até pro amigo e que ele mal podia esperar pra ver o próximo. Um fofo, esse meu boyfriend.

O texto dessa semana eu enviei pra Michelle, a minha priminha Incrível que me respondeu em vinte minutos com tudo marcado e grifado, coisa de profissional. E a parte um comentário assim:

BEAUTIFUL!! It gave me goosebumps :) I loved it! You are so gifted, Val. 

O que seria de mim sem eles? Pensei. Mas isso é arriscado, pensei de novo, já quase saindo fumaça. Se por um lado o incentivo de quem gosta da gente é fundamental e impulsionador, por outro tem créditos limitados. Difícil é agradar quem não te conhece.

Pois bem, hora da prova. Desta vez  fui a décima oitava a se apresentar, faltando meia hora para acabar a aula, todo mundo já cansado, pois mesmo sendo muito boas, mesmo assim são dezoito histórias às dez da noite, imaginem.

Tive a idéia de pedir à Samantha, uma linda e talentosa escritora, para ler para mim. Estava aflita, normal. Não levantei os olhos para ver a expressão de ninguém, estava com muita vergonha do meu romance IF diante de tantas histórias de peso.

Mas usando desta ultra apurada sensibilidade que Deus me deu percebi um silêncio diferente. E aquele texto em inglês saindo da voz de Samantha me pareceu realmente bom. Depois daquele tempo torturante de cinco páginas (sim, eu escrevi um bocadinho mais) eu vi, eu vi! Olhos brilhando e sorrisos! Eu juro! Mesmo de uns que são bem sisudos! Naquele momento eu acreditei; Yes! O que eu escrevo é ouvível!

A professora disse: Voilá! Tem uma grande escritora aí! Parabéns Valeria! 
Aquele foi um dos momentos que quero guardar na minha pasta de melhores memórias. 

Depois dela alguns colegas também falaram, e lá fui eu compactar os elogios dizendo:
- Que bom que consegui passar o meu sentimento, até então ele só falava português.
- Você escreve muito bem mesmo em inglês! Uma disse, séria.
Aí já é por conta de Michelle, pensei, tentando mais uma vez sabotar meu elogio.
No segundo seguinte corrigi meu pensamento baixo astral; Não! Ela consertou alguns erros de inglês mas as palavras saíram de mim! E agradou!
A linguagem do amor é universal! Voilá IF, aceita!!!!

Não por acaso dessa vez escrevi sobre o momento em que a personagem sai de um estado de tristeza profundo e começa a despertar para renascer. Tema esse que modéstias agora todas a parte, eu sou PHD. Posso escrever dez livros sobre isso, para uma phoenix só me falta as penas coloridas.


Então isso quer dizer que se você sabe o que quer, ama fazer isso, tem a oportunidade de aprender algumas técnicas, usa um tema que você domina e dedica todo o seu coração as coisas funcionam? Será que é assim que os sonhos acontecem?

Então a cada dia dou mais um passo em direção ao meu. Observando, pensando, escrevendo. Tudo vai estar lá. Isso aqui vai estar lá. A IF, eu vou estar lá, usando alguns personagens para contar sobre dores e aprendizados, sobre a aventura de morar em outro país, sobre todos os papéis que vivo e muitas, várias experiências Incríveis como esta da aula de ontem que me provam a todo instante que a vida vale muito a pena.

8 comentários:

  1. Talento,técnica e muito amor......Vá em frente Queridíssima!!!!!!Sds,bjs

    Jorginho Peralva

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, priminha!!! Fiquei muito feliz ao ler este seu post!!

    ResponderExcluir
  3. Valzinha,
    É emocionante acompanhar a sua trilha!!
    Sucesso amiga!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Fiquei super curiosa pra ler a historia ... Amo um romance. Vou ser das primeiras na fila pra comprar o livro. Parabens Val. Fiquei muito feliz com esse sucesso. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Enchugando as lagrimas novamente, amiga! Lagrimas de pura alegria e felicidade!! Voce nao imagina o quanto estou feliz por voce!! PARABENS Valzinha Linda!! Voce eh muito abencoada!! Tenho certeza de que todos os seus sonhos se realizarao!! Te adoro!! Beijos em seu lindo coracao!!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, fiquei toda arrepiada!!!!! Que máximo!!!

    ResponderExcluir
  7. Bom mesmo é ter vocês. Um beijo enorme!!!!

    ResponderExcluir

A INCRÍVEL falível espera ansiosamente por um comentário seu: