06 outubro 2011

O primeiro dia de uma escritora IF

Chega o grande dia.
Ao final de todas as obrigações domésticas vou me arrumar.
Entro no carro uma hora e meia antes do horário marcado para eliminar todos os tipos de "Se...".
Chego em 25 minutos, nenhum "Se...zinho" pelo caminho.
Parei o carro e fui caminhar no campus mais lindo que já vi.













Paro no café pra pegar um capuccino só pra respirar mais daquele verde.
Cheguei na sala animada, dentões todos a mostra.
Sala eclética, adoro.
Eu era uma das mais novas, adoro².
A professora faz uma breve explicação sobre o curso com o simpático nome de:
Antes de escrever um livro: Explorando personagens e estória.
E ela chama para o que interessa: Escrever.
Todos sacam notebooks de última geração.
Eu? Um caderno herdado das filhas e uma caneta de propaganda.
A pró pergunta:
- Quantos de vocês já têm um personagem?
- Dezessete levantam a mão.
- Quantos não tem?
Levantam eu e mais dois.
A teacher segue:
- Se não tem vai criar um agora. Eu quero o perfil do seu protagonista. Quem é, quantos anos, o que faz, quais são os seus medos e dilemas, qual é a sua base.
Me deu saudade da minha aula de improvisação teatral com os coleguinhas adolescentes do ano passado.
Brincadeira, aquilo  lá era muito pior.
Canetinha pra que te quero, mãos a obra!
Escrevi.
Ela pede pra ler, de um a um. GLUP!
Pelo que entendi na história de um a mãe matou o pai, a outra se baseia em um relacionamento incestuoso entre irmãos, um está a 300 anos a.C e a da outra acontece na Turquia do século XVI.
GLUP! GLUP! GLUP!
Todos lendo em uma fluência riqueza de vocabulário tal que eu só entendi 20%.
Só tinha fera.
Me lasquei! Pensei. Já vai chegar a minha vez.
Daí me lembrei de um recurso Infalível:
VOU FAZER O MEU POSSÍVEL- O mantra IF
E assim li no inglezinho que eu tenho a história do jeito que eu sei fazer;
Levinha, levinha. Ninguém mata ninguém, sobre uma mulher normal desse tempo de agora mesmo.
Eu era a única estrangeira. Acho que é mesmo muita ousadia ir para um curso para aprender a escrever livros sem dominar a língua.
Senti uma micro torcidinha de nariz geral para mim.
A professora ouviu e comentou os textos de todos com muita atenção. Excelentes comentários por sinal. Depois fez uma pergunta para o personagem de cada um e pediu para que trouxéssemos uma resposta de quatro páginas para ler na próxima aula.
Quando tive uma chance falei:
- Queria falar uma coisa e pedir uma coisa.
Silêncio geral.
- O meu objetivo aqui é aprender COMO escrever, mas quero escrever em português. Ainda tenho muita dificuldade com o inglês e infelizmente não pude acompanhar a leitura de vocês que deve ter sido maravilhosa. Será que vocês poderiam me trazer uma cópia para que eu possa segui-los?
Finalmente vi um sorrisinho brotar aqui e outro alí.
Simpatia e humildade funcionam em qualquer lugar e em qualquer contexto.
E a super teacher:
- Claro que sim Valeria! A outra opção que eles têm é a de ler também em português! Piscando pra mim.
Sorri igualzinho a minha filha e saí feliz da vida contando os minutos para escrever as primeiras quatro páginas do livrinho IF.
Nunca na vida foi tão fácil fazer tarefa,
Finalmente dever de casa virou prazer de casa para mim.

9 comentários:

  1. Linda, minha IF!
    Se jogueeeee....
    Love
    Syl

    ResponderExcluir
  2. Val ,ja deu certo ,é a tal da conspiracao,se ja chegou la e porque é pra ser.O importante é o movimento...é fazer acontecer,o resto vem...acredite...vem a necessidade de ler dicionario,ler jornal(ohhh fonte de inspiracao,se for do br entao) de encontrar a palavra certa pra emocao,é so exercicio e pra isso o nivel de exigencia tem naturalmente que sser maior.Coragem amiga querida...com guerreira que voce é ,vai ser so mais uma batalha ,para nos orgulharmos depois.Sucesso e bota emocao e belezassss nessa personagem...é so olhar no espelho.

    Ana Emília Baqueiro

    ResponderExcluir
  3. Eh isso ai, minha amiga vitoriosa!!!! Estou emocionadissima!!!! Voce ja eh uma pessoa muito iluminada, e sei que seu caminho sera sempre repleto de luz! Estarei sempre torcendo muito pra que voce alcance todos os seus sonhos!!! Tenho certeza que daqui a pouco estaremos lendo um maravilhoso livro seu!!!

    ResponderExcluir
  4. Amei. A historia eh parecido com minha agora! hehe Eu em UCLA em minha aula de Portugues, com quasi todos brasileiros, escrevendo textos em uma lingua nova. Mas eh assim que a gente crescer, nao eh? (Por isso, estou escrevendo meu portugues horrivel aqui... sem accentos pq meu notebook nao tem, lol). Tambem amo a escola. Achou a escola mais linda e diversa do mundo. Voce ja viu os jardims? Te amo, querida! Estou muita orgulhosa de vc!! <3

    Michelle

    ResponderExcluir
  5. Não entendi por que foi que vc respondeu que não tinha um personagem???? e a IF????
    Quanto aos temas do outros colegas, fiquei também meio encafifada... só tema pesadéssimo. Não escolheria nenhum destes livros para ler, mesmo que fossem de escritores super renomados. Vá em frente, prima. Existem leitores para todos os tipos de vertente!

    ResponderExcluir
  6. A IF vai ter que aparecer em algum momento né? Vou pensar. bjs

    ResponderExcluir
  7. Adorei. Pra quê curso, vc escreve tão bem.

    Um abç, vou ficar freguesa do seu blog!

    ResponderExcluir
  8. Show de bola Val! Vc eh uma escritora de mao cheia e com certeza vai arrembentar neste curso, boa sorte, torco por vc :)

    Deni

    ResponderExcluir
  9. Que bom Val,fico muito feliz e admirada pela sua coragem.

    ResponderExcluir

A INCRÍVEL falível espera ansiosamente por um comentário seu: