04 agosto 2011

ciranda


Tiramos essa semana para fazer uma grande seleção. De roupas que já não nos servem, inúmeros brinquedos, utensílios de cozinha, passamos por todos os armários, gabinete e reviramos o quartinho de depósito. Impressionante a quantidade, toda vez que faço parece que nunca fiz na vida. Quatro pessoas, quatro vezes tantas coisas, uma loucura!

Fizemos uma dessas nos States na semana anterior a mudança. Lá chama-se garage sale e é uma prática muito comum. Geralmente colocamos na garagem tudo que não queremos mais, fazemos alguns cartazes e abrimos o portão para os vizinhos. A minha filha foi a gerente e deu um show. Eu só fiz separar a mercadoria, ela organizou, arrumou, marcou os preços e atendeu os clientes por quatro dias, não queria sair de lá nem para comer. Fez o balcão do caixa e fazia questão de entregar as peças em sacolas decoradas. Escreve aí; é uma comerciante nata.

Desta vez pensei que ela não fosse se interessar muito, já que lá o dinheiro ficou pra ela e aqui nós vamos reverter em leite para a creche de Canabrava. Mas quem disse?
A danada passou o dia inteiro arrumando (e nisso ela dá de dez em todos nós) muito satisfeita com o trabalho. Eu até ofereci uma comissão mas ela disse que não, que quer que todo o dinheiro vire leite. Nessas horas nem me aguento de orgulho.

Um milhão de sentimentos me arrebataram durante esta  movimentação. As meninas se desfazendo da maioria dos seus brinquedos, como se estivessem se despedindo de uma grande fase da infância. Aquele tanto de roupas que já não servem mais. Outro dia estava conversando com a xará sobre como o coração aperta quando olhamos para as roupinhas dos filhos pequenos. As fantasias que contam histórias de carnavais e de apresentações na escola, os ex- brinquedos favoritos, os livros que um dia lemos para eles que até então só acompanhavam pelas figuras...

Isso aperta forte mas não chega a doer. O que me dói é ver os livros que nunca foram lidos, as bonecas que nunca tiveram atenção, os fantoches separados para um outro dia e os jogos que não tive tempo de jogar com eles. E que agora já está tarde.

Que atire a primeira pedra na IF a mãe que não sente culpa por não ter brincado e curtido mais os seus filhos. Eu já sinto isso antes mesmo de passar, acho sempre que faço pouco, que vou ter muita saudade. Por isso eu me mandei! Porque lá o meu foco é muito maior neles, eles são a minha principal atividade. Enquanto há tempo!

Sim, mas lá vou eu viajando e saindo da história do bazar, normal. O fato é que estamos prontas para vender e doar uma boa quantidade dos acessórios de um pedaço de nossas vidas. E com isso ter uma casa mais leve, armários mais ventilados, melhor visualização de tudo e mais espaço para a energia circular.

E é claro, deixando o necessário, incluindo aquele supérfulo essencial para os nossos corações. Roupinhas de pagão, o urso que a caçula trouxe "da barriga" para o mais velho, o brinquedo que sobreviveu aos três, os presentes do papai delas, os discursos e cartas do meu papai.

No mais, podem levar. Que vá para outros lares esse pedacinho da nossa história. Que outras crianças possam se vestir, aprender, brincar e sorrir com as coisas que um dia escolhemos para nós. Deixamos essa fase com saudade, mas partimos felizes para a próxima!

E se os filhos seguem saudáveis de corpo, de mente e de coração, aprendendo a receber da vida e também a oferecer, fazendo girar a ciranda da fraternidade...
É porque estamos no caminho certo.

- E esse está só por três reais, está novinho, quem vai quereeeeerr???????




9 comentários:

  1. Que otimo, minha amiga! Seus filhos estao aprendendo da melhor maneira possivel: Atraves das acoes, do bom exemplo que vc da a eles! Eh o que todos deveriam fazer!!! Voce esta de parabens! E as criancas estao seguindo os seus lindos passos! Que Deus os abencoe sempre!!! Vamos todos cirandar! :)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por ser essa pessoa sensível e amável que é. Por ter esse caráter que vc tem e por saber conduzir seus filhos para o mesmo caminho do bem! Deus te abençoe sempre! \0/

    ResponderExcluir
  3. Sem comentários, MÀXIMO!!!! Serei a primeira a chegar!!! Bjs, A M O.

    ResponderExcluir
  4. Valzinha olhao dom para os megocios esta no sangue,o da caridade esta no sangue também.Guarde sempre uma roupa ou um brinquedo de cada fase da vida de seus filhos eu mesma tenho a manta que sai da maternidade mainha guardou tenho sapato,roupa,brinquedo de Zeca guardadinho até hoje e ficará guardado para sempre,ele adora ver.

    ResponderExcluir
  5. Nesses posts Incriveis, "nem me aguento de orgulho" da IF!!! Adoro ver a minha Mamys assim toda cheia de energia, contribuindo para a formacao de uma sociedade mais solidaria e tendo as lindas crias seguindo seus passos.

    Em um mundo muitas vezes FALIVEL, tao cheio de violencia e corrupcao, relatos como esse fazem um bem INCRIVEL a minha alma. Me fazem ver que existe sim a possibilidade de sermos pessoas melhores.

    Amo muito vc, Mamys!! O universo esta' com um sorriso enorme e, certamente, conspirando para a sua felicidade!!
    Com o carinho de sempre,
    Paulinha

    ResponderExcluir
  6. Meu Deus, que coisa linda, a pessoa abrir o blog no carro indo pro dentista e dar de cara com seis comentarios lindos como esse! Vcs me impulsionam, me fazem tao feliz!!!! Muito obrigada e que Deus sempre nos abencoe e nos ilumine!

    ResponderExcluir
  7. Bem cedinho...estaremos aí!
    MAIS UMA ATITUDE QUE ME ORGULHA MUITO!
    Bjsssss

    ResponderExcluir
  8. Tudo muito interessante por aqui,
    Gostei muito mesmo.
    E te convido para conhecer meu espaço, caso queira dar uma olhada, seguir..;

    http://www.bolgdoano.blogspot.com/

    Muito Obrigada, desde já.

    ResponderExcluir

A INCRÍVEL falível espera ansiosamente por um comentário seu: